Como qualquer estratégia de negócios, o Método ASK de Ryan Levesque tem algumas questões que fazem com que ele funcione com perfeição.

Pedro Zaidhaft explicou a metodologia por trás da Deep Survey, a primeira etapa de Perguntar para Saber. Já o Fábio Hansen, no post anterior a este, mostrou um exemplo de uma Deep Survey feita por nós mesmos, da Babel-Team.

Se você não pôde conferir qualquer um dos dois, sugiro que o faça antes de ler este, pois, para fechar nossa contribuição referente a este conteúdo, vamos falar um pouquinho sobre os segredos dentro do Método de Levesque.

Desvendando os segredos do Método ASK

 

1. Perguntar o relevante   

Pode não parecer um segredo, mas a grande questão do Método ASK de Ryan Levesque está NO QUE e no COMO você pergunta ao seu prospecto / cliente.

Se saber a idade da pessoa não é uma informação relevante para o seu negócio, não pergunte, pois você “gastará” uma chance de perguntar algo que faça realmente diferença para a criação dos seus produtos e serviços.

Como foi dito anteriormente, quanto maior a quantidade de perguntas, menor a taxa de respostas. É, portanto, fundamental que só se pergunte o.… bom, o fundamental mesmo.

Cada pergunta deve fechar uma lacuna do avatar do cliente e, com a maior parte delas, conseguirmos desenhar um perfil de público-alvo mais perto possível do ideal.

Saber o resultado das perguntas e, melhor ainda, saber o que fazer com os resultados nos leva ao segredo número 2.

2. Segmentação Automática

A partir do momento que você já tem os dados que você precisa para tornar sua empresa melhor adaptada para o mercado em que ela está inserida, entra em questão O QUE fazer com eles.

Capturar informações de alguém para não as usar é causar um desgaste desnecessário na relação entre a sua empresa e o lead.

Suponhamos que, como nós, você utilize uma pergunta que é “Por alto, qual a sua receita anual?”, e tem 6 possíveis respostas para essa pergunta:

2017-03-23_1116

Como dito pelo Fábio Hansen, não vale ofertar um produto de consultoria caro para alguém que possui receita de 100.000 anual.

Agora você imagina que, quando lança essa pergunta, percebe que 70% das pessoas possuem essa receita.

Sabe o que a maioria das pessoas pensam? “Caramba, não vou conseguir vender essa consultoria”.

Sabe o que pessoas que usufruem de automação pensam? “Caramba!! Se eu criar um produto pra esse público e educa-los, de produto a produto, eles vão gerar mais receita, comprar mais de mim e ser meus clientes ATÉ a consultoria!”

A segmentação automatizada é uma grande aliada na hora de planejar as mudanças na sua empresa depois do resultado.

Se você vende muito produto caro e seu público mostra que precisa de produtos baratos, você pode automatizar grande parte do processo dos produtos mais baratos para que não gere uma despesa maior que a receita.

E, mais, usando a segmentação automatizada você pode gerar o que chamamos de Ciclo Completo do Cliente, fazendo com que seu público que antes só estava pronto para comprar o produto barato, agora possa passar de etapa em etapa até estar pronto para comprar o mais caro (a cada compra, aumenta-se o nível de confiabilidade do lead na sua empresa e, também, a relação de proximidade entre ambos).

Apenas criar automação não basta. Usar a segmentação para automatizar a comunicação específica e assertiva é o grande diferencial dos negócios hoje. 

Não deve falar sobre economia

com uma pessoa que  já informou 

que só quer saber sobre futebol.

 

3. Ferramentas

Aqui entra o segredo menos segredo de todos – porém importantíssimo – e que, muitas vezes, nós não queremos realizar:

Precisamos

De ajuda!!

Nem tudo que queremos fazer é possível de ser feito de forma simples.

Só pode escolher 2… 

bbb

Ou tem muito trabalho manual, ou é muito automatizado, mas ai custa uma fortuna, ou cada um faz uma coisa pra baratear, mas nada conversa entre si…. Administração, mesmo que só de um produto, é extremamente complicado.

As ferramentas costumam ajudar a gente nesse processo, facilitando todo o planejamento, criação, desenvolvimento e fechamento.

No caso do Método ASK, para ser feito exatamente como o do Ryan Levesque, é necessário pelo menos 3 ferramentas:

    1. Criação de Páginas
      Pode ser a ferramenta que você usa para o seu site – como WordPress – ou apenas para criação de páginas soltas – como LeadPages, Wix, KlickPages.
    2. Segmentação e Automação da comunicação
      Nós utilizamos o Infusionsoft para ter o máximo de segmentação possível explorada. Outras ferramentas também podem ser utilizadas para o processo, com mais ou menos funcionalidades.
    3. Software de Planilha*
      Como nós acumulamos toda a informação em uma planilha e colocamos fórmulas para estabelecer prioridades, usar um Excel, GoogleDrive ou Numbers é fundamental para a análise de dados*Vale frisar neste ponto que é necessária uma conexão entre os softwares 1 e 2 e 3 para que o processo possa ser automatizado.Da página, o contato deve ser levado diretamente para o software de automação e CRM assim como serem levados também os dados para a planilha.Essa conexão pode ser feita automaticamente (quando ambas as ferramentas já se comunicam por padrão) ou desenvolvida por um programador (quando ambas possuem API aberta para a conexão acontecer).

Resumindo

Não há segredo para a criação do Método ASK de Ryan Levesque!

Tudo é possível, você só precisa conhecer bem seu negócio, seu público e as ferramentas nas quais você apoia sua empresa.

Se você planeja e organiza bem o processo, é uma certeza que ele vai trazer informações extremamente valiosas para você crescer cada vez mais.

Uma informação que é valiosíssima e que não é segredo para ninguém: Não deixe de analisar os resultados e mudar o que você encontrar de errado.

Já dizia Albert Einstein,

Insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes 

Para suporte na implantação do Método ASK de Ryan Levesque, consulte nossa equipe aqui.

 

Diana

A Autora
Diana Visconti
 – Arquiteta em Automação e Consultora de Modelo de Negócios

Carioca da gema, se formou em Publicidade pela Puc-Rio e, antes mesmo de terminar a faculdade, já estava imersa no mundo da automação. Começando na Babel-Team em 2013, aprendeu sobre a automação de marketing e vendas com o colega Fabio Hansen e sobre Consultoria de Negócios com Jorge.

Certificada em Infusionsoft desde 2015, dá treinamentos e suporte em inglês, espanhol e português. Em 2016, começou a pós-graduação em Administração de Empresas para expandir a área de Consultoria de Negócios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Imagem CAPTCHA