É essencial para qualquer empresa que seus gestores conheçam a fundo cada aspecto do seu modelo de negócios: saber suas forças e fraquezas; ameaças e oportunidades; interações com o mercado, clientes e todos os stakeholders de uma maneira geral.

Este olhar crítico é muito importante, seja para mero autoconhecimento, seja para basear e fundamentar mudanças estratégicas.

Até alguns anos atrás, esta análise era feita de uma maneira quase burocrática, com relatórios densos e maçantes de cada setor da empresa, dificultando a visualização global do negócio, como as diferentes áreas interagem entre si e como fazer possíveis alterações estruturais.

Com a chegada e popularização da era digital e do design thinking, novas maneiras de se avaliar os diferentes modelos de negócios surgiram, sendo a principal a metodologia canvas, estudada principalmente no livro Business Model Generation. Mais recentemente foi desenvolvido um modelo pela Universidade de St. Gallen, na Suiça, chamado de Business Model Navigator.

Vamos analisar um pouco cada uma dessas novas metodologias.

Modelo de NegócioBusiness Model Generation – Canvas

A metodologia canvas se baseia em separar o negócio em duas grandes áreas: externa e interna. No meio delas, vem o principal da empresa: A proposta de valor.

Business Model Generation – Canvas - Modelo de Negócio

Canvas

Vale ressaltar que é possível que um mesmo negócio possua mais de uma proposta de valor. Explicaremos isso a seguir.

Essa metodologia normalmente é debatida entre os participantes da empresa com a aplicação de post-its em cada uma das subdivisões. Caso você possua mais de uma proposta de valor, você deve usar mais de uma cor de post-it. Desta maneira, a visualização fica clara, permitindo identificar de maneira rápida a qual proposta de valor cada característica está relacionada.

Abaixo segue um exemplo do modelo de negócios do Facebook com o canvas:

Modelo de negócios do Facebook

No caso do Facebook, fica clara a divisão por cores, na qual a proposta de valor “Socialização online” não se relaciona, por exemplo, com “Editoras”, mas sim com “Usuários do mundo todo”.

As possibilidades são inúmeras nesta metodologia e, o maior desafio, é justamente a parte de remodelagem. Identificar as características atuais de um negócio pode ser relativamente simples, mas, propor as mudanças necessárias para se atingir os objetivos estratégicos, é onde está o grande “X” da questão.

Por este método parecer simples (e realmente é, até certo ponto), é comum que muitas empresas interrompam o processo no meio, chegando apenas na etapa de avaliação do momento atual, mas não conseguindo avançar para a etapa de remodelagem.

Para estudar mais a fundo e conseguir utilizar a metodologia com todas suas possibilidades, recomendamos que leia o livro Business Model Generation (e todos os seus desdobramentos, como o Business Model You e o Value Proposition Design), além de participar de cursos e workshops sobre o tema, como este, que será realizado primeiramente no México e, em breve, também no Brasil.

02Business Model Navigator

Essa metodologia é mais recente e menos conhecida que a canvas, e foi desenvolvida por um grupo de pesquisadores da Universidade de St. Gallen, na Suiça.

Semelhante à metodologia anterior, eles usam a proposta de valor de uma maneira central em um diagrama, relacionando com 4 variáveis:

4 variáveisBusiness Model Navigator

Os pesquisadores responsáveis por elaborar o método identificaram que poderiam classificar 90% dos negócios do mundo em 55 modelos diferentes, seguindo respostas para as quatro perguntas acima.

A seguir vamos ver um exemplo dessas categorias.

“O poder dos dados dos clientes”:

Esse modelo classifica as empresas as quais a principal atividade é o levantamento de dados dos clientes, e trabalha com duas das quatro perguntas – “como” e “porque”. O “como” é justamente isso, eles fazem aquisição e análise de dados dos seus clientes, e o “porque” é que os dados e rastros deixados pelos clientes, se bem trabalhados e processados, tornam-se informações importantes, que podem ser vendidas ou usadas em benefício próprio (veja os posts sobre a metolodogia ASK que também usa dos dados do cliente para vender mais). Assim como no exemplo usado na metodologia canvas, uma empresa que se enquadra nesse modelo é o Facebook.

Da mesma maneira que o método anterior, o desafio está não só em identificar o momento atual de sua empresa, mas como ela pode ser remodelada para atender mudanças estratégicas.

Conclusão

Existem diversas maneiras de se analisar um modelo de negócio e formas de remodelar estrategicamente suas atividades-chave, basta identificar com qual você se adapta melhor. Ter a orientação adequada também pode ajudar e muito, pois normalmente esse trabalho é mais complexo do que parece.

Caso queira saber mais sobre o modelo canvas, sobre o nosso workshop dessa metodologia, sobre o modelo da universidade da Suiça, ou qualquer outro assunto relacionado a modelos de negócios, basta procurar por nossa equipe.

 

pedroSobre o autor
Pedro Zaidhaft – Gerente Comercial

Possui experiência em diversas áreas, mas encontrou sua paixão no mercado digital e Internet.
Formado em Administração com pós-graduação em gestão de negócios e especialização em marketing digital, atua na Babel-Team como gerente de marketing e vendas. Também desempenha um importante papel na área de parcerias e novos negócios. Natural do Rio de Janeiro, trabalha com Internet desde 2013 e com automação desde 2015. Muito provável que, ao caminhar pelas ruas do Rio de Janeiro, você esbarre com ele tocando em algum dos muitos blocos de música de que faz parte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*